sexta-feira, 3 de junho de 2011

Aproximam-se as eleições!

Pois, afinal, nesta convulsão
De muita propaganda e eleições,
Alguns, sempre perceberão
Que o jogo não é a feijões...
Acabam por me dar razão
Até mudam as opiniões
Para pôr fora o pilão
Que gastou o resto dos tostões
Nos deixou na banca-rota
Que vai rindo e fazendo sermões
No malabarismo da batota
Vai cair aos trambolhões
Como a ferida gaivota
E, com suas asas, quais pavões
Há-de procurar a minhoca
Na lama das escavações
Porque ele e sua tropa
Aliados aos patrões
Deram cabo da mandioca
Criaram muitas confusões
Num ambiente sem igual
Aumentando a seita de ladrões
Deste nosso Portugal...

1 comentário:

Fuzo de agua doce disse...

Resta-nos esperar para ver se quem aí vem vai pelo mesmo caminho ou tem alternativas válidas, pelo que se passou na campaaanha eleitoral, não tenho grandes esperanças que as coisas vão finalmente tomar o ruma certo.
Um abraço
Virgilio