domingo, 2 de setembro de 2012

Perda de um amigo!



Perda de um amigo, quando a morte chega cedo...

A morte chega cedo,
Pois breve é toda vida
O instante é o arremedo
De uma coisa perdida.
Não chegou tão cedo, assim
Pois, quase setenta tinha
Porque todos temos um fim
Que às vezes se adivinha
E, no desejo de viver
Ansiando sempre a cura
Tudo se perde sem querer
Embrenhados na loucura
Porque, isto de morrer
Provoca aquela secura
Que, em vez de beber
Um trago de água pura
Melhor seria renascer
Para uma vida menos dura
E, pedir a Deus para morrer
Em paz, com doçura...
Podendo, assim, afirmar
Sem remorsos de amargura
Que o amigo Valdemar
Era boa criatura...
Com o tempo tudo se perde
Até os amigos vão
Para um local perene
Talvez, seja ilusão
Quando vemos inerte
Um amigo no caixão
Ficamos perplexos
Condoídos com paixão
Quem nem estes versos
Da minha imaginação
Trariam com suas rimas
E, com forte emoção
Através das lágrimas
Fazer brotar de novo alegrias
Ao nosso triste coração...
O amor foi começado,
O ideal não acabou,
E quem tenha alcançado
Não sabe o que alcançou.
E tudo isto a morte
Risca por não estar certo
No caderno da sorte
Que Deus deixou aberto.

3 comentários:

Valdemar Ribeiro Alves disse...

Gostei imenso.

edumanes disse...

Nos versos da tua imaginação
Escreves com saudade
Dos que partiram, jamais voltarão
Onde ficam na paz da eternidade
Debaixo da terra fria continuarão
Pelo caminho do destino
Outros por ele seguirão
Depois de uma vida em redemoinho
De felicidade e confusão
Deixam onde nasceram seu cantinho
De quem fica caem lágrimas no chão
Na imaginação para outro ninho
Dentro de um caixão
Forrado de branco linho.

De uma triste despedida
Lindo poema escreveste
Homenagem de lágrima caída
Ao amigo Valdemar fizeste!

Boa quarta-feira para ti,
amigo Verde.

Um abraço
Eduardo.



Observador disse...

Conheci o Valdemar através dos seus escritos, e alguns telefonemas, mas não precisava mais para perceber que era um Homem de convições, daqueles que mais vale partir que torcer, a sua partida foi uma grande perda em primeiro lugar para os seus Familiares, mas também para os Amigos, mesmo para aqueles como eu que não se conheciam pessoalmente.
Que descanse em Paz.
Um abraço
Virgilio