terça-feira, 25 de dezembro de 2012

As últimas questões sobre a bicharada no Presépio!

Então, disse: 
O Senhor Padre, pediu-me, com bastante antecedência que comprasse um burro e uma vaca para o Presépio. Como devereis saber, vivo a escassos 10 quilómetros de Penafiel onde se realiza a Feira do S. Martinho de 10 a 20 de Novembro que, as vezes se prolongam mais um dia ou dois se coincidir como o fim de semana. Entendido? Para lá fui, e comprei os tais burro e vaca, muito lindos, novos e nutridos os quais amarrei com uma soga (corda). Andei alguns passos mas eles estacaram. Discutiam os dois e o burro dizia ter vergonha de acompanhar uma vaca sem soutien e logo para um presépio. Parei numa sapataria para comprar o dito soutien para a vaca!? Numa sapataria? Pois os soutiens para vacas são difíceis de encontrar. Comprei um par de luvas: uma luva dava um soutien para quatro tetas e sobrava ainda uma parte para alguma teta desgarrada de tantas que andam por aí a dar na cara da gente... A outra luva-soutien ficava suplente para quando a outra tivesse de lavar-se. Problema resolvido? Pensava...mas não! Depois, foi a vez da vaca pegar com o burro porque, apresentava-se indecente. Este retorquiu, dizendo que trazia cuecas e, portanto respeitava a ética... Ela concorda, em parte, dizendo: sim, senhor, mas como tem a ferramenta grande como um burro, a maior parte fica de fora delas. Amarrei-os a umas grades e fui comprar um soutien bem abonado para o burro, mas quando cheguei, alguém ou eles tinham-se soltado, dando a galope até à estação da CP, que não fez greve, meteram-se no comboio até ao Porto e por lá andarão de braço dado, sem agora porem entraves sobre as cuecas e a falta de soutien... Depois de me deixarem na prancha... voltei à feira e tentei negócio com outro burro vendido por uma velhinha, mas...eu disse-lhe: o burro é manco, minha senhora! É manco mas até arrasta o diabo por aí fora! Como não quero nada com o diabo, deixei-me de compras, desanimado. Ao sair da feira, dou de caras com uma moça muita alta, com pernas até ao cu, de mini-saia que, vendia uma ovelha muita linda que não precisava de soutien nem cuecas, visto que a sua lamboa (lã boa) lhe tapava tudo. Comprei-a com a ideia de a levar para o presépio para atenuar a falta do burro e da vaca. Mas a (coira) andava ao carneiro. Meti-a num cortelho para não complicar ainda mais as coisas... Desanimado, indaguei na miúda o porquê duma mini-saia tão curta num tempo tão frio. Disse-me: é a crise e, se havia de comprar dois metros de pano, fiquei-me pelos vinte centímetros, que segundo ela lhe chegam muito bem... Perguntei-lhe ainda se o pano era de setim, seda, sarja ou... Como era gaga, falou de coisa parecida com flanela que, mais fazia entender de pilanela. Para mim, pilanela ou pilanele tinha e tem o mesmo valor e significado, não acham? Pus-me a vê-la caminhar, enfiada naquelas chiolas altas que estão na moda. Ela, como eu disse, era muita alta, com as tais pernas até ao cu, cambaleava tremulamente com uns Passos...uns Passos de coelho. Contudo, o seu andar era cada vez menos Seguro...menos Seguro. Pior ainda. Tropeçou num Cavaco...num Cavaco e foi cair a Belém, junto do Presépio. Moral da história: nem burro, nem vaca, nem ovelha no Presépio devido aos seus exageros indecentes contra a moral. No fim, aparece esta toira ou toura, de mini-saia, que se arrasta enchiolada nas tamancas para obrigar o PR a pôr ordem na moral através da Constituição Nacional. Gostaram? Isto em teatro tem outro sabor...

3 comentários:

TINTINAINE disse...

Já quase tinha esquecido que este blog existia!
Fizeste bem em aparecer, pois isso dá ânimo à malta para continuar nestas lides, coisa que serve para nos manter ligados.
Um abraço!

Fuzo 03/62 disse...

Bravo filho da Escola,gostei !
Te desejo um Bom Fim d'Ano e melhores entradas do Outro !...
Um abraço de Felicidades,

16491

António Querido disse...

Gostei da história e gostei também de ver as "Coisas do Verde", de volta!
Um ano de 2013, sem passos de coelho, sem rei gaspar, nem cavacos para tropessar e até rimou como o meu amigo Verde gosta, Um abração do Páscoa e BOM ANO!