segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Um mundo melhor...

Uma das nossas preocupações deve ser trabalhar por um mundo melhor, para que todos sejam felizes em maior ou menor grau: melhorar o nosso mundo familiar, o nosso mundo profissional, o nosso mundo social. Há coisas simples, ao nosso alcance, que podem transformar um pouco o mundo. Eis um exemplo:
Certo escritor passava serenamente as suas férias numa pequena praia. Todas as manhãs passeava um pouco junto ao mar. Depois voltava para casa para dar continuação aos seus escritos.
Um dia, viu ao longe um rapaz que se baixava, apanhava qualquer coisa e lançava ao mar. Aproximou-se e concluiu que o jovem apanhava estrelas-do-mar no areal quente e as lançava de novo à água para não morrerem ressequidas pelo sol ardente.
- Porque fazes isso? – Perguntou o escritor.
- Salvo estas estrelas-do-mar que o calor do sol quente mata.
- Mas não vale a pena. Não vês nesses quilómetros de praia as centenas de estrelas que morrem?
- É verdade, disse o moço, agarrando uma estrela e lançando-a ao oceano. Mas esta já não morre!
O escritor regressou a casa, muito pensativo, naquela resposta do jovem. Durante a noite continuou a pensar. No dia seguinte voltou à praia e lá estava o jovem generoso. Associou-se a ele salvando estrelas-do-mar.
No mundo que nos rodeia, há tantas estrelas-do-mar que morrem ressequidas pela fome, pela doença, pela indiferença. Um pequeno gesto nosso, um pouco de generosidade, podem salvar vidas.
É verdade que pelo mundo fora há tanta “estrela” lutando pela vida; pela felicidade a que têm direito.
Há também muita gente extraordinária – cristã e não cristã – que luta pela felicidade dos outros: por um mundo sem carências do essencial, um reino de paz, de alegria, de esperança e de amor fraterno.
 “Às vezes colhemos lições de humildade, tiradas das páginas da vida, cujo livro são os passos que damos ao encontro de realidades como esta: tão simples e tão modesta no modo exemplar deste jovem…”

1 comentário:

Valdemar disse...

Uma verdade indesmentível.
Uma simples palavra ou um simples gesto pode-se dar um contributo que não tem preço monetário calculável, tal é o seu valor.
Se todos dessemos um pouquinho de nós! Seguramente que viveríamos num mundo muito melhor e o futuro dos nossos filhos estaria assegurado mais risonho e mais brilhante.
São estes exemplos dignificantes que deveremos continuar a divulgar.
Lá diz a sabedoria popular e essa nunca se engana:
- Que água mole em pedra dura, tanto bate que até a fura.
Aos poucos também seguramente vamos batendo no coração de quem procura ser prestável e que muitas vezes só não contribui por ainda não se ter apercebido da importância do valor das pequenas coisas.
Mas muitas pequenas coisas boas fazem coisas grande maravilhosas.