domingo, 20 de março de 2011

A tentação da riqueza... para meditar!

Uma das grandes tentações de sempre e mais ainda do nosso tempo é a ânsia da riqueza: querer possuir muito, “ter” cada vez mais. E esta tentação sôfrega leva à corrupção, à exploração nos salários, à desonestidade nos contractos, à usura nos empréstimos, à avareza na forma de viver, ao roubo nas partilhas, a vigarices de toda a espécie, etc.
A fome de riqueza entontece, cega e cria indiferença para como os famintos e miseráveis que muitas vezes moram e são nossa vizinhança.
Certo homem ávido e cego pelo ouro entrou numa ourivesaria repentinamente, onde estavam bastantes pessoas. Agarrou vários objectos de ouro e fugiu. Foi apanhado por um policial, que lhe disse: estava lá tanta gente, como te atreveste a roubar o ouro?
- Eu vi tanto ouro que nem me apercebi da gente que lá estava! – Respondeu o ladrão.
Realmente o ouro, o dinheiro, a riqueza em abundância, cegam a humanidade: não deixam ver a gente pobre, atulhada no caos da miséria…
A sede de riqueza é uma doença contagiosa que não deixa abrir o coração para este mundo de angústias aumentadas pela crise que atravessamos.
As pessoas ao serem tocadas pelo cancro da ambição, apenas olham para si próprias e para os mais diversos ídolos oferecidos pelo dinheiro: a luxúria, o pagode, réveillons, comezainas, etc.
Há necessidade de ter cuidado, porque a sede de ouro não deixa ver a gente extremamente carente que nos rodeia.
Porém, também não encontramos exemplos dignificantes daqueles que governam diversos países, porque a saga da malvadez avarenta e corrupta, encaixa fortemente numa justiça impura, maligna e incapaz de lavar a face deste mundo, onde faltam a sensatez e o respeito pela dignidade humana dos mais humildes e necessitados…

TVP/VERDE

1 comentário:

Fuzo de agua doce disse...

É infelizmente, um dos grandes males das sociedades modernas, a ganância, e ligado a esta estão crimes diários, para se conseguir ter o que a publicidade anuncia a toda a hora, muitos não olham a meios para o conseguir, nem que para isso tenham que pisar os seus semelhantes, a corrupção e o roubo então, parece que vieram para ficar, tendo como seus mais fervorosos adeptos, os Politicos sem vergonha.
Um abraço
Virgilio